Livros sobre Teoria da Fotografia

Uma seleção dos melhores livros sobre teoria da fotografia, feita por um amador, para amadores.

Primeira coisa a ser dita: eu não sou fotógrafo, mas amo fotografia e estudo muito, principalmente teoria. Por isso leio e compro bastante livros sobre esse tema.

Vou indicar alguns livros que eu já li, outros que estão na minha lista e alguns clássicos recomendados por todos os profissionais.

Sobre Fotografia — Susan Sontag

(Português) Capa Comum (13 mai 2004)

Sobre fotografia, ganhador do National Book Critic Circle Award de 1977, é um livro que fez história no âmbito dos estudos da imagem. Publicado originalmente no Brasil em 1983, reúne seis ensaios escritos na década de 70, em que a romancista e filósofa Susan Sontag analisa a fotografia como fenômeno de civilização desde o aparecimento do daguerreótipo, no século XIX. O resultado é uma história social da visão , demonstrando seu lugar central na cultura contemporânea.

Sontag extrapola os domínios da técnica da fotografia, enfoque que desliga a prática fotográfica do quadro social que a inventa e a consome. Abrangentes e reflexivas, as análises dialogam com a filosofia, a sociologia, a estética e a arte pictórica. A erudição da autora não se traduz, porém, em hermetismo. Seu estilo é simples, direto, leve e sedutor, marca de uma das mais atuantes intelectuais da atualidade.

“A realidade, como tal, é redefinida pela fotografia”, escreve ela ao discutir as relações entre os acontecimentos e as imagens produzidas a partir deles. Sontag mostra como as noções de fato e representação se embaralham nas sociedades industriais e consumistas, onde “tudo existe para terminar numa foto”.

A Câmara Clara — Coleção 50 Anos — Roland Barthes

(Português) Capa Comum — 10 jul 2015

Neste clássico francês, Roland Barthes estabelece uma correlação entre os processos ópticos de reprodução da imagem para nos mostrar que sem a intervenção pessoal, subjetiva, do observador — que pode ver nela muito mais do que o registro realista ou a mensagem codificada — , a fotografia ficaria limitada ao registro documental. A câmara clara não é, portanto, um tratado sobre a fotografia enquanto arte nem uma história sobre o tema. Absolutamente original, Barthes se lança à tarefa de decifrar o objeto artístico, a “obra” entendida como mecanismo produtor de sentido.

Para Entender Uma Fotografia — John Berger

(Português) Capa Comum — 27 jun 2017

Para John Berger — assim como para Walter Benjamin, Susan Sontag e Roland Barthes — , a fotografia era uma área de interesse especial, mas não uma especialidade. Eles a abordaram não com a autoridade de curadores ou de historiadores, mas como ensaístas. Para entender uma fotografia reúne 24 ensaios de Berger, organizados cronologicamente e escritos ao longo de mais de quarenta anos.

O autor se vale de literatura, filosofia, psicanálise e metafísica para tratar de fotógrafos como Henri Cartier-Bresson, André Kertész e Sebastião Salgado. Berger também se dedica a refletir sobre o lugar da fotografia entre as belas-artes, reler criticamente a obra de Sontag ou enfrentar o dilema que ronda a veiculação de imagens de violência. Para entender uma fotografia foi organizado por Geoff Dyer, também autor de uma introdução em que explica: “À medida que Berger examina fotografias e delas extrai histórias ― tanto as que revela como as que ficam ocultas ―, o papel de crítico e questionador de imagens dá lugar à vocação e ao abraço do contador de histórias”.

O Ato Fotográfico (Português) — Philippe Dubois

Capa Comum — 28 jan 1994

A foto não é apenas uma imagem (o produto de uma técnica e de uma ação, uma figura de papel em sua clausura de objeto finito), é também um ato icônico, uma imagem, se quisermos, mas em trabalho, algo que não é possível conceber fora de suas circunstâncias.

A foto é uma imagem-ato que não se limita apenas ao gesto da produção (o gesto da tomada), mas que inclui o ato de sua recepção (sua “contemplação”). Vê-se por aí o quanto esse meio mecânico implica a questão do sujeito, especialmente do sujeito em processo. — por Philippe Dubois

A Alma da Fotografia. O Fotógrafo Como Artista Criador — David Duchemin

(Português) Capa Comum — 19 dez 2017

Tanto como forma de arte quanto como linguagem universal, a fotografia tem a extraordinária capacidade de conectar e se comunicar com as pessoas. Mas com mais de um trilhão de fotos feitas todo ano, por que só algumas poucas realmente conseguem essa façanha? Por que poucas são capazes de evocar nossas emoções e imaginação? Certamente não é porque o foco está imperfeito ou a exposição inadequada; com os avanços da tecnologia, a câmera faz esse papel muito bem sozinha.

O fotógrafo David duChemin acredita que a maioria de nossas imagens fracassa pela ausência de alma. E, sem alma, a fotografia perde a capacidade de ser compreendida. Ela simplesmente não consegue se conectar com o público, ou mesmo — se formos honestos — com o próprio fotógrafo.

Em A Alma da Fotografia: O Fotógrafo Como Artista Criador, David explora o que significa fazer fotografias melhores. Ilustrado com uma coleção de belas imagens em preto e branco, cada capítulo trata de temas como técnica, especialização, perspectiva, público, disciplina, história e autenticidade.

A Alma da Fotografia é um livro pessoal e profundamente pragmático que, de forma serena, mas poderosa, desafia a ideia de que nossas câmeras, lentes e configurações são algo mais do que ferramentas inertes. É o fotógrafo, não a câmera, que pode e deve aprender a fazer fotografias melhores — capazes de transmitir nossa perspectiva, conectar-se com outras pessoas e, em sua essência, conter nossa humanidade. A Alma da Fotografia nos ajuda a fazer exatamente isso.

O Olho do Fotógrafo. Composição e Design Para Fotografias Digitais Incríveis — Michael Freeman

(Português) Capa Comum — 11 mai 2012

O Olho do Fotógrafo é um livro que aborda o design como fator mais importante na criação de uma imagem fotográfica de sucesso. A habilidade de enxergar o potencial para uma imagem forte e depois organizar os elementos gráficos em uma composição atraente e eficiente sempre foi crucial no ato de fotografar, segundo o autor Michael Freeman.

O autor demonstra que a fotografia digital trouxe um aspecto novo e motivador ao design, por sua resposta rápida e suas possibilidades de edição, e isso teve um efeito profundo no modo como os fotógrafos fazem suas fotos. Essencial para fotógrafos modernos, o livro O Olho do Fotógrafo explora todas as abordagens de composição e de design tradicionais e, principalmente, trata de técnicas digitais como a costura de imagens e a imagem HDR, que usam novas tecnologias para ampliar as possibilidades do meio sem comprometer a visão do fotógrafo.

https://amzn.to/2Of1HqT

Formado em Publicidade e Propaganda com 20 anos de experiência em Criação e Gestão de conteúdo digital. Pesquisador da semântica e dados conectados.

Formado em Publicidade e Propaganda com 20 anos de experiência em Criação e Gestão de conteúdo digital. Pesquisador da semântica e dados conectados.