Se Internet acabasse hoje, o que aconteceria?

Se Internet acabasse hoje, o que aconteceria?

É o Fim

Domingo. 8 da manhã.

Eu acordo, passo o meu café, sento na cama.

O dia está calmo lá fora, como foi a noite ontem. Pego o celular na mesinha ao lado e olho as notificações. Tudo calmo, sem nada para ver.

Isso é estranho — penso entre um gole e outro.

Resolvo deitar um pouco mais e pego no sono.

A internet está tão profundamente ligada às nossas vidas que em momento algum paramos para pensar na sua complexidade. Manter ela funcionando é custoso, dá trabalho. Mas vai ficar sem ela?

Quem nunca ouviu a frase: “Internet deveria ser como a água: um direito universal do ser humano.”?

Posso lhe dizer que a internet é tão indispensável hoje em dia, que ficar poucos minutos sem conexão é um sofrimento, para muitos de nós.

Do nada, tudo para

Meu telefone toca. Atendo, é minha mãe.

“Oh, mãe! Tá me ligando? O que foi” — digo.

Ela me conta que tentou me chamar no whatsapp mas não carrega desde ontem a noite.

Então ligou.

Pego novamente o celular e vejo que, do nada, tudo parou.

E se Internet acabasse hoje, o que aconteceria? Já se fez essa pergunta?

Se acontecesse por algum motivo qualquer, guerra, terremoto ou invasão alienígena, da “rede mundial de computadores” simplesmente ser desligada, destruída? O que aconteceria?

O que você faria? Como vai falar com a família e amigos? Como fazer para acessar suas redes sociais? A foto do pôr do sol lindo, onde vai ser postada?

Fazer compras online, acessar o extrato do cartão de crédito, pagar a balada de ontem a noite, combinar para sair hoje, tudo isso é feito usando aplicativos, que só funcionam conectados à rede.

O que faríamos sem a internet?

Primeiro a perplexidade, depois a descrença, enfim o desespero

Eu olho o relógio no pulso. Ele também está com zero notificações.

Atualizo e nada acontece.

MInha mãe, já nervosa do outro lado da ligação me diz que a TV também não conecta.

Ligo o chromecast: nada.

Esse é um cenário que parece distante, mas que pode ser comparado com outros eventos próximos. Pare um pouco e pense como as pessoas lidam, por exemplo, com uma pandemia.

Existe quem entra em estado de negação, e não acredita nos fatos, evitando lidar com um problema deste tamanho. Outros ficam perplexos, paralisados por algum tempo, esperam para ver o que vai acontecer, o que os experts vão recomendar. Alguns, mais preparados psicologicamente, se informam para ver o que podem fazer.

Como você se comportaria se a Internet, simplesmente, deixasse de existir?

Alguns negam, outros procuram alternativas

Mãe, te ligo de volta daqui a pouco, tá?

Abro o Facebook: nada. Whatsapp, está parado desde onde, nem adianta tentar.

Aí me lembro do bom e velho SMS.

“Oh Marco! Aconteceu alguma coisa com a sua rede? Aqui em casa e na da minha mãe nada funciona!”.

Não dá dois minutos o Marcão responde: “Está tudo parado, cara! TUDO!”

A humanidade vem se adaptando a revoluções desde a descoberta do fogo. Durante séculos tivemos um mundo bem estável, sem muitas mudanças. Mas depois da invenção da imprensa, a velocidade das mudanças só aumenta. E nós vamos nos adaptando.

A invenção da Internet aos poucos tornou possível imaginar novas maneiras de fazer o que já fazíamos antes: falar à distância, escrever para longe, comer, comprar, se divertir, jogar…

Se a Internet parar de funcionar, a sua vida vai parar junto com ela?

A volta definitiva ao passado

“CARA, LIGA A TELEVISÃO, DÁ DANDO NO JORNAL!” — me grita o Marcão, em letras garrafais.

Pego o controle, mudo para o sinal do cabo, e assisto sem quase respirar:

“Notícias pelo mundo todo dão conta que uma pane mundial fez com que a Internet parasse de funcionar globalmente”.

Sento devagar, sem acreditar.

A TV continua falando, mas eu paro de prestar atenção.

Sem Internet, não temos a Web. Sem Web, todos os sites param de funcionar. Imagina o cenário: 99% das coisas que você faz quando liga um computador, simplesmente param de funcionar. Desde jogar até abrir um editor de texto.

Este post estaria fora do ar, por exemplo.

Tenho certeza que muita gente vai ser impactado, principalmente quando começamos a migrar muitos trabalhos que antes eram executados em um escritório para o home office. Mas tenho também certeza que vamos dar um jeito, procurar alternativas. Ou não?

Sem internet, o seu smartphone é praticamente um telefone caro e cheio de programas que não servem para nada. Dependendo do ano que me lê, pode ser que as ligações também sejam feitas 100% através da internet. E aí, meu caro amigo ou amiga: você voltou ao passado.

Mas existe como contornar o fim da Internet? O que pode ser feito?

Esperança no fim do túnel

Marcão, como assim parou tudo? — Mas ele tinha desligado.

Abro novamente o aplicativo do telefone e ligo para ele.

  • Cara, o que tá rolando?

A conversa vai longe mas ele me conta que o impossível aconteceu: estamos sem internet, no mundo todo!

Nosso modo de vida mudou completamente nos últimos 50 anos. Quem conhece a história da Web sabe que ela foi marcada por micro-revoluções que impulsionaram o seu desenvolvimento e sua rápida implementação.

Quem estuda as inovações radicais que aconteceram neste mesmo período sabe uma coisa: nós sempre damos um jeito.

Existem formas de transmitir dados, que não dependem de uma rede mundial, como por exemplo as redes federadas ou descentralizadas, que podem ser usadas, em momentos de crise, como fontes de comunicação e troca de informações.

Manter as redes celulares, fora da estrutura da internet ou mesmo numa rede separada, exclusivamente por satélites, pode ser uma outra alternativa viável a uma queda global.

Enfim, nós sempre damos um jeito de nos comunicar. Foi assim que nos tornamos o que somos.

A Humanidade descobre que já vive numa rede: a dos relacionamentos

Volto a mim e o jornal já acabou.

Uma mesa de debates, com especialistas que eu conheço, está rolando.

Ligo de volta para mim mãe: “Olha, parou tudo mesmo. Estou indo para sua casa.”

Quando desço encontro meus vizinhos debatendo algo na portaria.

Dou um alô geral, pego a moto e parto.

Nós vivemos em uma rede invisível, que passa despercebida, mas que nos conecta a todos. As relações humanas é como a Internet. Uma rede feita de interações ponto a ponto, que conecta os seus nós em menos de seis graus de separação.

As pessoas sempre se relacionaram e passaram informação nesse contato. O que fizemos foi transferir a parte prática para uma rede mais eficiente e maior.

Se a Internet pode acabar ou não, eu não sei. Tudo pode acontecer (olha 2020 aí!) mas de uma coisa eu sei: o Ser Humano vai continuar se conectando a seus pares, transmitindo e recebendo informação.

Ainda não é o Fim

“Ei mãe, abre aí o portão, cheguei”. Desligo o telefone e portão abre.

A casa já está cheia. Os vizinhos estão no sofá tentando entender o que aconteceu.

Meu pai fuma o seu cigarro despreocupado, ele já passou por coisa pior, diz tranquilo.

Sento com meus irmãos no chão: E aí, quais são as novas?

O papo vai longe.

--

--

Especialista SEO e defensor da Web Semântica. Publicitário e Bibliotecário em formação, com mais de 20 anos de experiência no Digital.

Love podcasts or audiobooks? Learn on the go with our new app.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store
Alexander Rodrigues Silva

Alexander Rodrigues Silva

Especialista SEO e defensor da Web Semântica. Publicitário e Bibliotecário em formação, com mais de 20 anos de experiência no Digital.